Sci-Friday: Coherence (2013).

Hoje é sexta-feira e, como toda sexta-feira que se preze, tem Sci-Friday, a coluna semanal que traz ficção científica para a sua vida!
O filme de hoje é um dos meus favoritos do gênero, o nome dele é Coherence.

“Durante um jantar, oito amigos começam a falar sobre a proximidade de um cometa, e sobre os rumores de que a passagem deste corpo celestre é capaz de trazer mudanças graves no comportamento das pessoas. Logo após a discussão, a luz acaba, e estranhos fenômenos começam a acontecer com os convidados, questionando a noção de realidade.”

Caramba! Astronomia, paranóia, teoria da conspiração e um toque de terror? Tô dentro!

O filme começa com Em (Emily Baldoni) dirigindo seu carro à noite, enquanto fala no celular. De repente, a cobertura some e a tela do celular racha. Em fica um pouco desconcertada mas consegue chegar ao seu destino: Um jantar com alguns amigos de longa data.

Os amigos começam a chegar (oito, contando com Em) e ela relata o que houve com seu celular. Ela diz que esse estranho acontecimento deve estar relacionado com a passagem de um cometa, visível do ponto em que eles se encontram. Ela também conta que, 100 anos antes, o mesmo cometa causou acontecimentos estranhos nas localidades onde ele foi avistado, como pessoas confusas e perdidas. Todos riem dela até que notam que seus próprios celulares estão sem cobertura e que o celular de Hugh (Hugo Armstrong) também está com a tela rachada.

* * * ALERTA DE SPOILERS * * *

Hugh se mostra preocupado com esse cometa e diz que precisa entrar em contato com seu irmão, que é professor de Física. Neste momento falta luz na casa e, como todos estão sem celular, decidem sair para procurar ajuda. Quando eles saem da casa, descobrem que todas as casas da vizinhança estão sem luz, com exceção de uma.

Hugh e Amir (Alex Manugian) resolvem ir até a única casa com luz pedir ajuda, mas voltam alguns minutos depois completamente atordoados: Hugh está com um ferimento na cabeça e Amir carrega uma caixa que encontrou perto da casa.

O pânico se instala ao abrirem a caixa e encontrarem objetos aleatórios nela, além de uma foto de cada um com números riscados atrás.

* * * FIM DOS SPOILERS * * *

É extremamente complicado continuar falando desse filme sem entregar spoilers. A partir da abertura da caixa, o filme ganha uma nova identidade e se aproxima de um thriller psicológico, com MUITA tensão envolvida… Não apenas para os personagens como também para o espectador.

As cenas são habilmente trabalhadas e causam uma certa angústia. A presença de janelas em quase todas as cenas é um elemento extremamente neurante (principalmente para quem já viu muitos filmes de terror).

O desenrolar do filme requer bastante atenção para que não se perca nenhum detalhe; é o tipo de filme que não podemos tirar os olhos da tela (e não conseguimos mesmo). Várias teorias e conceitos são apresentados, causando estranheza à primeira vista. O filme vai mergulhando nesses conceitos e explicando o que cada um deles significa.

O diretor James Byrkit consegue construir uma história que sai da tela e te atinge no sofá, te levando a sentir o medo e a angústia dos personagens em cada decisão e em cada descoberta.

O final do filme é surpreendente e perturbador, daquele tipo que te deixa pensativo/a por dias.

Minha dica é: ASSISTAM!

A propósito, essa cena aqui é uma das mais perturbadoras que já vi em filmes. Só vai entender quem assistir. 😉


Pra quem quiser indicar livro/fime/série/jogo/qualquer coisa de ficção científica para a Sci-Friday, é só entrar aqui: IndicaSci

Cintia

PudimCast. Rock. Café. 42. Sci-Fi. Teorias da Conspiração. Lovecraft. Stephen King. Paradoxos. Multiversos. ❤

%d blogueiros gostam disto: