Sci-Friday: Moon (2009).

Hoje é sexta-feira e, como toda sexta-feira que se preze, hoje tem Sci-Friday, a coluna semanal que traz ficção científica para a sua vida!
E o filme de hoje é Moon (2009).

Moon é o primeiro filme do diretor Duncan Jones, famoso por duas coisas: Ser o diretor de Warcraft (2016) e filho de David Bowie! Em sua estréia, Jones conta uma história usando poucos cenários, poucos personagens e uma grande dose de criatividade.

Logo no início do filme já sabemos que Terra sofreu muito com o abuso de combustíveis fósseis, poluição, etc, e que foi encontrada uma forma de conseguir energia limpa: extraindo Hélio-3 da Lua. Daí em diante, o filme passa a focar em Sam Bell (Sam Rockwell), um astronauta que trabalha na Lunar Industries LTD, responsável pela extração do Hélio. Ele está na Lua há quase 3 anos para extrair esse combustível e enviá-lo à Terra.

Sam só não está totalmente solitário na Lua porque tem a “companhia” do robô Gerty (dublado por Kevin Spacey), que lembra um pouco o Auto, de Wall-E. Gerty é responsável por várias atividades na nave, inclusive analisar o estado de saúde físico e mental de Sam e fazer com que ele não se sinta tão só. Aliás, Gerty usa um sistema de emoticons para demonstrar suas “emoções”.

Faltando poucos dias para o término de seu contrato, Sam começa a ver e ouvir coisas estranhas como, por exemplo, outra pessoa em sua “estação” e gravações de seu vídeo-diário que ele não reconhece. Ele se assusta com uma das suas “visões” e acaba queimando sua mão ao fazer café.

* * * ALERTA DE SPOILERS * * *

Ao constatar certas anormalidades na leitura de um dos coletores, Sam decide sair da estação e investigar o que está acontecendo. Ele se aproxima do coletor e sofre um acidente onde seu veículo é soterrado. Após algum tempo (não especificado no filme), ele acorda na enfermaria e sua mão já não apresenta mais a queimadura que ele havia sofrido antes do acidente.

Com o passar do tempo (tempo não especificado MESMO), Sam se recupera e detecta outra anomalia em um dos coletores. Ao informar Gerty que ele sairá para consertá-lo, o computador lhe avisa de que não pode fazer isso e recebe uma mensagem das Indústrias Lunar informando que estão enviando uma unidade de resgate e que irão colocar a estação em ordem.

Desconfiado e confuso com os acontecimentos, Sam simula um acidente na nave e pede a autorização de Gerty para verificar a estrutura externa, alegando que meteoritos podem tê-la danificado. Ao ter a saída autorizada, Sam se dirige ao local do acidente e encontra alguém lá.

Sam encontra ele mesmo!

Sam carrega seu outro eu para a estação e Gerty cuida desse segundo Sam, que está usando um curativo na mão. Os dois Sam‘s travam alguns diálogos e é possível notar que eles tem personalidades bem diferentes, sendo um deles amigável e o outro bastante rude. Um acusa o outro de ser um clone, já que são absolutamente idênticos e tem o mesmo o nome. Aos poucos eles começam a se dar bem, mas esse clima amistoso muda quando eles começam a discutir sobre quem é o verdadeiro Sam Bell.

* * FIM DO SPOILER * * *

O filme teve baixo orçamento (cerca de 5 milhões) e, apesar de ser excelente e ter obtido ótimas críticas, não emplacou. A própria Sony não fez muita questão de divulgá-lo e basicamente só o lançou direto para locação (nossa, vocês lembram desses tempos?!) e venda.

É um filme relativamente parado (poucos cenários e pouca movimentação) mas que levanta questões importantes, como o próprio abuso que estamos impondo ao planeta, solidão e barateamento de mão de obra. Pesquisando na internet, até descobri que já existem pesquisas de verdade sobre o Hélio-3.

O filme também mostra (numa atuação magistral de Sam Rockwell) os efeitos do isolamento no ser humano e de como precisamos de seres emotivos ao nosso redor (os smileys de Gerty servem para demonstrar emoção, como se ele fosse realmente capaz de sentir algo). Quando Sam começa a ver e ouvir coisas estranhas, somos levados a crer que ele está sofrendo de algum tipo de paranoia causada pelo isolamento… Mas a verdade é muito mais sombria.

(Se você lembrou do filme Gravidade (2013) da Warner Bros, tudo bem. Impossível não lembrar.)

Pode ser que um dia nossa civilização viva o cenário retratado em Moon? Quem sabe…


Pra quem quiser indicar livro/fime/série/jogo/qualquer coisa de ficção científica para a Sci-Friday, é só entrar aqui: IndicaSci

 

Cintia

PudimCast. Rock. Café. 42. Sci-Fi. Teorias da Conspiração. Lovecraft. Stephen King. Paradoxos. Multiversos. ❤

%d blogueiros gostam disto: