Neil Gaiman é um oceano sem fim, mergulhe nele

Hoje, 10/11, é aniversário de Neil Gaiman, um dos autores mais amados e cultuados do mundo. E não apenas porque ele reinventou os quadrinhos através de Sandman, mas também porque ele nunca arregou em suas histórias e decisões.

Era outono de 2006, o ano em que eu começava a desabrochar para a vida. Na época eu fazia faculdade de Psicologia e estava começando a me interessar por histórias mais adultas (UI!). Por sorte eu andava com o grupinho nerd (naquela época admitir isso ainda atraía bullying — que bom que os tempos mudaram) e, por influência de alguns amigos, comecei a ler Sandman, V de Vingança e Watchmen. Sandman, de longe, foi a obra que mais me marcou. Como poderiam existir personificações da Morte, Desejo, Delírio, Destino, Desespero, Destruição e do próprio Sonho?

Aquilo explodiu a minha cabeça.

Ao longo de quase 40 anos de carreira, Gaiman não se prendeu só aos quadrinhos, ele também escreveu romances, livros infantis, contos, editou antologias, produziu filmes, séries e uma pá de outras coisas. Hoje, por conta de seu aniversário, resolvi me debruçar sobre a sua vida e fiz uma lista de coisas que muita gente não sabe sobre ele. Vem comigo que no caminho eu explico!

Créditos: Woo! Magazine

1. Ele lia MUITO desde a infância

Gaiman foi o típico jovem nerd: Passava horas debruçado nos livros, se aventurando por mundos fantásticos. Ele cita C.S. Lewis, J.R.R. Tolkien, Edgar Allan Poe e Michael Moorcock como alguns de seus autores favoritos.

Ah, ele também gostava de passar o dia lendo na biblioteca. Ele pedia para os pais o deixarem no local e lá ele ficava feliz da vida.

2. Ele começou sua carreira como jornalista

Segundo informações da Wikipédia, seus primeiros trabalhos foram rejeitados por editores, o que o levou a escolher o Jornalismo como meio de conseguir contatos (muito esperto o moço!). Seu primeiro livro, na verdade, foi uma biografia da banda Duran Duran, lançada em 1984.

3. Paródias

Em seu site oficial, Gaiman afirma que “Era muito, muito bom em pegar uma voz que já existia e parodiá-la ou combiná-la”. Essa sua habilidade, como é possível notar pelas publicações em suas redes sociais, só se aprimorou com o tempo.

4. Ele tem um livro fantasma

Na verdade o livro existe… Bem, mais ou menos. Ghastly Beyond Belief, uma coletânea de citações bizarras do universo sci-fi, foi lançado em 1985 e acabou se tornando um tanto quanto obscuro. Apesar de ser listado em seu site, é praticamente impossível comprá-lo.

Em um comentário da Amazon, um comentário de 2012 aponta a dificuldade para comprá-lo: O livro foi lançado um ano depois da biografia de Duran Duran mas “a editora faliu logo após a edição dele. Os direitos de seu conteúdo foram perdidos, portanto, há pouca ou nenhuma possibilidade de que ele seja reimpresso em breve — ou em qualquer outro momento.”

5. Sua vida mudou mesmo com Sandman

Seus primeiros quadrinhos foram Violent Cases (1987) e Black Orchid (1988 a 1989), mas foi Sandman (1989 a 1996) que realmente o lançou à fama mundial. A série, até hoje, é apontada como revolucionária e, durante sua publicação sofreu represálias de grupos como Concerned Mothers of America, que ameaçou boicotar Sandman. Gaiman relembrou esse episódio em 2015 quando outro grupo se lançou contra suas obras, dessa vez, Lúcifer:

 “Ah. Parece que foi ontem (mas era 1991) que as “Concerned Mothers of America” anunciaram que estavam boicotando SANDMAN porque continha personagens lésbicas, gays, bi e trans. Foi Wanda que mais os incomodou: a ideia de uma mulher trans em uma história em quadrinhos… Elas nos disseram que estavam organizando um boicote ao SANDMAN e que só parariam se escrevêssemos para a American Family Association e prometêssemos reformular. Eu me pergunto se elas notaram que não funcionou da última vez também…”

Wanda e a Morte

6. Sandman não sugou toda a sua criatividade

Durante a publicação de Sandman, Gaiman lançou 3 romances:

1990Good Omens
1996Neverwhere
1999Stardust

Um livro infantil:

1997The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish

E um livro de contos:

1993Angels and Visitations: A Miscellany

7. Ele também comanda séries

Além da extensa e sólida carreira de autor, Neil Gaiman está, ATUALMENTE, no comando de 3 séries baseadas em suas obras: Deuses Americanos, Belas Maldições e The Sandman. Aliás, sobre essa última, tem um vídeo da Netflix que foi liberado recentemente sobre os bastidores:

Infelizmente ainda não temos uma data exata para a estreia da série… Mas VEM AÍ!

8. Gaiman responde os haters

Apesar da maior parte das suas publicações nas redes sociais serem direcionadas a seus fãs, Gaiman também responde aos haters e muitas vezes seus comentários viralizam, como esse aqui de 2019 em que respondia a uma petição que pedia para que a Netflix cancelasse Good Omens… Que é produzida pela AMAZON.

“Eu realmente adoraria ter enviado uma caixa de chocolates para quem a organizou — eles provavelmente pensariam que eu estava sendo sarcástico, mas era a melhor coisa do mundo. Isso demonstrou que as pessoas que assinam petições para remover programas não assistem realmente a esses programas — se alguém, em qualquer ponto da petição, tivesse visto Boas Maldições, saberia como sua petição era boba, mas também se a tivessem visto, saberiam que estava no Amazon Prime!

9. Ele é parceiro de longa data de Dave McKean

Créditos: Youtube

Neil Gaiman e Dave McKean já trabalharam juntos em 7 projetos:

1. Violent Cases (1987);
2. Black Orchid (1988-1989) (DC Comics);
3. Signal to Noise (1992);
4. Mr Punch (The Tragical Comedy or Comical Tragedy of Mr. Punch , 1994, DC Comics / Vertigo);
5. The Day I Swapped My Dad for Two Goldfish (1997);
6. Os lobos atrás das paredes (The Wolves in the Walls, 2003);
7. Cabelo Doido (Crazy Hair, 2009).

10. Ele tem uma personalidade incrível

Além de todas as obras incríveis que já produziu e ainda produz, ele encontra tempo para se comunicar com os fãs pelas redes sociais, debater com haters, dar conselhos sobre escrita, aulas e entrevistas pra lá de sinceronas, como essa daqui publicada pelo El País:

“O que aprendi com 2020 é que sempre que tentei fazer qualquer tipo de plano, para qualquer coisa, por menor que fosse, pude ouvir, depois de cinco minutos, uma semana ou um mês, Deus rindo. Entrei em 2020 meio mal-humorado, mas sabendo o que ia fazer todos os dias durante os três anos seguintes. E tudo que sei agora é que não sei nada”.

Créditos: Head Topics

OBRIGADA POR TUDO, NEIL GAIMAN!

Não posso encerrar esse post sem citar que atualmente estou lendo “Seres Mágicos & Histórias Sombrias“, uma antologia mágica para leitores curiosos que gostam de sonhar. No Brasil ela foi publicada pela DarkSide® Books!

A coletânea reúne contos que, se lidos em seguida, parecem se ligar de um modo curioso, é como se eles estivessem no mesmo universo e que uma história influenciasse na outra, apesar de serem histórias de autores beeem diferentes.

E por falar em DarkSide® Books, o DarkBlog publicou uma matéria incrível sobre Neil Gaiman. Algumas das informações desse post foram retiradas de lá, mas ler o texto na íntegra é uma verdadeira imersão à vida e obra de Gaiman. Confira:

Cintia Pudim

Podcaster | Gateira | Consultora de Podcasts | Cafeinólatra | Social Media | 8 ou 80 #PudimCast | #PudimAmarelo | #PudimCasa

%d blogueiros gostam disto: